Hospedagem

Hospedagem em Coimbra: Quinta das Lágrimas

Em minha passagem por Coimbra a cidade que transpira história e cultura, tive a oportunidade de me hospedar em um lugar, que a meu ver, é uma das melhores opções na hotelaria local. Não digo isso só pelo fato de ter muito conforto, requinte e qualidade de atendimento acessível, mas principalmente pela oportunidade de estar em um lugar que assim como Coimbra de uma forma geral, respira história também. Estou falando do Quinta das Lágrimas Palace, um verdadeiro retiro de conforto em um palácio do século XVIII por onde passaram Reis e Imperadores e mais recentemente presidentes do Brasil. Um verdadeiro hotel-monumento.

Com instalações extremamente confortáveis, hoje o hotel é membro da cadeia Relais & Châteaux, que reúne os mais belos hotéis de charme e os melhores restaurantes do mundo. E para as pessoas que buscam paz e tranquilidade, o Bamboo Garden Spa é um espaço dedicado ao relaxamento com terapias completas para promover o bem estar. O hotel conta com mais de um estilo arquitetônico devido a várias reformas que sofreu ao longo do tempo, assim como a sua ampliação mais recente. O restaurante Arcadas é estrelado no Guia Michelin e por isso mesmo sua cozinha é fantástica.

Na manhã seguinte pudemos visitar mais um pouco o exterior do hotel onde ainda temos muita história e um belo jardim recheado de lendas e amores. Afinal, quem não conhece a história de Pedro e Inês, não conhece uma das mais tradicionais lendas de Portugal.

A história de Pedro e Inês

Conta-se que a quinta foi cenário dos amores proibidos do príncipe D. Pedro (futuro Pedro I de Portugal) e Inês de Castro, uma fidalga galega que servia de dama de companhia a sua mulher D. Constança. D. Inês terminou assassinada por fidalgos a quem o rei Afonso IV ordenara a sua morte. Teria sido nas matas das Lágrimas que Inês fora assassinada. Reza a lenda que ela se encontrava “posta em sossego”, quando de repente se viu abordada pelos três homens, que a esfaquearam até à morte. Terão sido as lágrimas que Inês então chorou que fizeram nascer a Fonte das Lágrimas, onde o sangue que do seu corpo saiu ainda hoje está gravado na rocha. Mal Pedro subiu ao trono, logo arranjou a morte dos assassinos de Inês, fazendo-o de uma forma cruel, arrancando os seus corações. Depois transladou o corpo da sua amada para Alcobaça. Nessa altura foi feita uma marcha fúnebre até ao futuro local de repouso de Inês, na qual toda a Nobreza foi forçada a participar.  Já em Alcobaça diz-se que Inês foi coroada (Camões diz nos Lusíadas que Inês “depois de morta foi Rainha”), tendo os nobres sido obrigados a beijar a sua mão. Estas lágrimas então derramadas por Inês e pelo povo em sua memória inspiraram Luís de Camões a criar o nome de Fonte das Lágrimas e muitos outros escritores a consagrar o amor eterno de Pedro e Inês.

No interior do hotel, na ala que foi ampliada existe uma exposição com diversas obras literárias e lindos quadros que retratam a história de Pedro e Inês. Não deixe de conferir.


Publicidade Ⓘ

Quer saber como conseguir a cidadania portuguesa?


Naira Amorelli
Naira Amorelli
Naira Amorelli, Travel Writer, Turismóloga e publicitária é uma apaixonada por Portugal e vive a sonhar com novas descobertas pelos caminhos mais escondidinhos do país. Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil exceto quando especificado em contrário e nos conteúdos replicados de outras fontes. Havendo reprodução total ou parcial favor citar a fonte: www.portaldeportugal.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *