Gastronomia

Quitutes da Ilha da Madeira para preparar em casa

Os sabores da Ilha da Madeira, destino português em meio ao Oceano Atlântico, sempre encantam os viajantes. Abusando dos ingredientes locais, principalmente frutos do mar e frutas, os madeirenses desenvolveram quitutes inesquecíveis.

Embora neste momento não seja possível prová-las em seu lugar de origem, muitas das delícias da ilha podem ser preparadas em casa. Confira algumas receitas desses quitutes aqui abaixo, mas lembre-se que, quando for possível, vale a pena explorar as terras da Madeira e provar os pratos mais difíceis de reproduzir em casa, como as lapas e o peixe-espada-preto.

Para o café da manhã ou entrada: bolo do caco
O nome engana: o bolo do caco, na verdade, é um pão. Redondo e achatado, é crocante por fora e macio por dentro e, para prepará-lo, são necessários cinco ingredientes:

– 2 kg de farinha de trigo;
– 500 g de batata-doce;
– 50 g de fermento biológico;
– água;
– sal.

Quitutes

O primeiro passo para preparar este que está entre os quitutes mais famosos é cozinhar as batatas-doces em água até que fiquem bem macias e amassá-las com um garfo. A água em que a batata foi cozida será utilizada, mas antes, deve-se acrescentar sal a gosto.

Depois, é preciso misturar as batatas-doces amassadas com a água usada em seu cozimento e o fermento. Acrescente 1,5 kg da farinha de trigo aos poucos, adicionando mais água se necessário. Quando estiver no ponto, a massa deve grudar no dedo.

A massa deve então ser modelada em formato de discos com cerca de 3 cm de altura e 10 cm de diâmetro. O trigo sobrado deve ser polvilhado em torno deles para que não grudem.

Na Madeira, o bolo do caco é assado sobre uma pedra de basalto conhecida como caco – o que explica o nome da iguaria. Em casa, não será possível seguir essa parte da receita à risca, mas o pão também ficará gostoso assado no forno tradicional. Pré-aqueça o forno em temperatura alta e asse os pães por cinco minutos de cada lado e estará pronto! É comum comê-lo com uma manteiga misturada com alho e salsa.

Para o lanche ou o café da tarde: queijada
As queijadas estão entre o mais desejados quitutes da Madeira e são um tipo de bolinho muito popular entre os moradores da Madeira. Os ingredientes necessários para prepará-las são:

Massa

– 250 g de farinha de trigo;
– 250 g de manteiga;
– 2 colheres de sopa de açúcar.

Recheio
– 500 g de queijo tipo ricota;
– 500 g de açúcar;
– 12 gemas de ovos;
– 2 claras.

Para a massa, é necessário peneirar a farinha com o açúcar, acrescentando a manteiga e misturando. Ela deve repousar por quatro ou cinco horas.

Já para o recheio, deve-se passar o queijo por uma peneira fina, adicionar o açúcar e mexer bem. Coloque as gemas uma a uma, misturando, e depois as claras. Bata até que fique homogêneo.

Estenda a massa de forma que fique fina e corte quadrados. No centro de cada um, coloque uma colher do recheio. Dobre as pontas da massa, deixando o meio visível.

Por fim, coloque as queijadas em uma forma forrada com papel-manteiga, e leve-as ao forno pré-aquecido a 180 graus por cerca de 30 minutos, até que fiquem douradas.

Para o prato principal do almoço ou jantar: bifes de atum e espetada
O atum é um peixe abundante nos mares que rodeiam a Madeira, o que o torna muito popular na culinária local. Como é relativamente comum no Brasil, fica fácil reproduzir a receita em terras brasileiras. Na ilha, os madeirenses cortam o atum em bifes e preparam o chamado “molho de vilão”.

Para fazê-lo em casa, primeiro é preciso trabalhar no molho: vinagre, azeite, orégano e pimenta devem ser misturados com alho e cebola picados. Depois, corte os bifes de atum e tempere-os com sal, pimenta e um pouquinho de azeite. Eles são então grelhados até ficarem corados por fora e rosados por dentro. Por fim, basta regar o bife com o molho e servir com os acompanhamentos desejados.

A outra opção é a espetada, o churrasco madeirense. Para prepará-la, utiliza-se o contrafilé, folha de louro verde, alho e sal grosso. Primeiro, corta-se a carne em cubos. Depois, é a vez de esmagar o alho (sem descascar) e colocar em um recipiente com as folhas de louro e o sal grosso, acrescentando a carne e deixando-a descansar por alguns minutos, para absorver o tempero.

quitutes

Por fim, coloca-se os pedaços de carne em espetos. Na Madeira, são utilizados paus de louro verde, mas vale fazer com espetos comuns. Leve-os ao fogo e asse até o ponto desejado. A espetada costuma ser servida com bolo do caco e manteiga de alho.

Para a sobremesa: pudim de maracujá
As frutas são verdadeiras estrelas da Ilha da Madeira. Um passeio pelo Mercado dos Lavradores deixa isso bem claro, já que o local, quando em funcionamento, é cheio de frutas diferentes, coloridas e exóticas, até mesmo para os brasileiros, que conhecem bem os sabores tropicais.

E não é segredo que as frutas rendem ótimas sobremesas, verdadeiros quitutes tradicionais! Sua doçura natural funciona perfeitamente para fechar as refeições com chave de ouro. Na Madeira, o maracujá é usado para fazer um delicioso pudim.

Os ingredientes são:

– 6 maracujás (na Madeira, utiliza-se o maracujá roxo, mas pode-se usar o amarelo, mais comum no Brasil);
– 1 lata de leite condensado;
– 250 ml de nata;
– 300 ml de água;
– 1 pacote de gelatina sem sabor ou de abacaxi;
– 2 colheres de sopa de açúcar.

Prepare a gelatina e, enquanto ela esfria, corte os maracujás, retire a polpa das frutas e bata-as no liquidificador. Junte esse “suco” com o leite condensado e acrescente à gelatina.

Separadamente, bata a nata em uma batedeira até ficar com a consistência firme. Adicione à mistura e mexa até que fique homogêneo. Deixe na geladeira por algumas horas antes de servir.

Redação
Redação
O Portal de Portugal é uma plataforma de comunicação que chega para divulgar os destinos e atrativos turísticos do país, sua hospitalidade, gastronomia, cultura e estilo de vida.   Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil exceto quando especificado em contrário e nos conteúdos replicados de outras fontes. Havendo reprodução total ou parcial favor citar a fonte: www.portaldeportugal.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *